Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://localhost:8080/handle/123456789/547
Tipo: Thesis
Título: Epidemiologia da podridão vermelha do sisal no Estado da Bahia.
Autor(es): Abreu, Kátia Cristina Leão de Magalhães
Abstract: O Brasil é o maior produtor mundial de sisal e o estado da Bahia o principal produtor, contribuindo com 94% da produção nacional. A podridão vermelha do sisal é o principal problema fitossanitário da cultura. A doença induz sintomas de amarelecimento e murcha das folhas e descoloração avermelhadas dos tecidos da base do caule que evolui para podridão interna e morte da planta. O presente trabalho se constitui num estudo pioneiro sobre a epidemiologia da podridão vermelha do sisal na Bahia, com os seguintes objetivos: identificar o agente etiológico de lesões observadas em estolões de sisal no campo, estudar a incidência da doença em mudas com e sem estolão, submetidas à inoculação e ferimento, e a probabilidade de ocorrência desta doença em plantas submetidas a condições de estresse: ferimento e período de estiagem; determinar o número mínimo de amostras para quantificação da podridão vermelha do sisal; determinar a prevalência e incidência; caracterizar a distribuição espacial da doença no âmbito da região sisaleira da Bahia; estudar o progresso da podridão vermelha do sisal no tempo e o arranjo espacial das plantas, visando caracterizar a dinâmica da doença em plantios da Microrregião de Serrinha, no Estado da Bahia. O estudo sobre prevalência e incidência foi conduzido em 46 áreas na Microrregião de Serrinha na Bahia por três anos consecutivos (2006 a 2008). A dinâmica espaço-temporal da doença foi estudada em nove áreas localizadas nos municípios de Araci, Barrocas, Conceição do Coité, Retirolandia, São Domingos e Valente, mediante o acompanhamento periódico da evolução dos sintomas em 400 plantas, durante o período de janeiro de 2008 a março de 2010. Para o mapeamento, 400 plantas foram marcadas em cada área e a posição de cada planta em relação às demais e o grau de severidade da doença foram registrados, de acordo com a escala diagramática, para cada área, em cada avaliação. A distribuição espacial foi determinada com auxilio do programa computacional 2DCORR e a confecção dos mapas de área isópatas para áreas de maior incidência. Foram feitas ainda as análises da área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD) e da taxa absoluta de progresso da doença para se verificar a influência da incidência inicial no progresso da doença em área. A probabilidade de incidência da doença foi de 100% e 5% nas mudas com e sem ferimento, respectivamente, e a severidade foi maior nas mudas com ferimento. Este trabalho também indica que os estolões são suscetíveis a infecção por Aspergillus niger. A prevalência da podridão vermelha foi de 100% nos municípios estudados. A incidência média variou entre 5 e 40%. Os mapas de áreas isopátas revelaram tendência à aglomeração das áreas com maiores incidências da doença ao Nordeste e Centro da Região estudada, nos três anos, o que foi confirmado pelo Índice de Dispersão, indicando que embora de ocorrência generalizada, a distribuição espacial da doença é agregada na Microrregião de Serrinha. Entretanto, dentro das áreas de plantio, a doença ocorre de forma aleatória e alternando períodos de aumento e de estabilidade da incidência, sendo a incidência inicial da doença na área responsável por 82 % das diferenças encontradas nas curvas de progresso da doença.
Abstract: Brazil is the world's greatest producer of sisal (Agave sisalana Perrine), and the State of Bahia is the main producer, contributing with 94% of Brazil's production. Sisal red rot disease is the main phytossanitary problem of this crop. This disease causes symptoms of pale green to yellowish and wilted leaves, and a reddish discoloration of internal stem tissue, which later becomes rotten and causes plant death. The present work is a pioneer study on epidemiology of sisal red rot disease in the State of Bahia, Brazil, which aimed to: identify the etiologic agent of lesions observed on sisal stolons in the field, the disease incidence in sisal plants with and without stolons, submitted to injury and inoculation, the probability of disease occurrence in plants submitted to stress conditions: injury and drying period; the minimum number of plant sampling for quantification of sisal red rot disease; disease prevalence and incidence in the field; to establish the spatial and temporal patterns of sisal red rot disease in order to characterize the dynamics of this disease in sisal producing areas of the micro-region of Serrinha, in the State of Bahia. Prevalence and incidence study was conducted in 46 areas in the micro-region of Serrinha, in Bahia, for three consecutive years (2006 to 2008). Disease spatial and temporal analysis was performed in nine sisal producing areas, located in the municipalities of Araci, Barrocas, Conceição do Coité, Retirolandia, São Domingos and Valente, by monitoring the evolution of symptoms in affected plants and the appearance of new symptomatic plants, during the period from January of 2008 to march of 2010. For mapping the areas, 400 plants were marked in each area and the positions relative to the other was recorded, along with monitoring of plant phytopathological status, according to the disease diagrammatic scale, at each evaluation period and area. The spatial distribution of disease was performed with the aid of software 2DCORR, and also maps of isopath areas of areas with highest incidence were elaborated. In addition, the area under disease progress curve (AUDPC) and the absolute rate of disease progress were estimated to evaluate the influence of initial disease incidence on disease progress in the field. Probability of disease incidence was of 100% and 5% for sisal plants with and without injury, respectively, and severity was also higher in injured plants. Sisal stolons are susceptible to infection by Aspergillus niger. Disease prevalence was 100% in studied municipalities. Average incidence of sisal red rot disease in studied municipalities varied between 5 and 40%. Maps of isopath areas revealed a tendency for agglomeration of areas with highest disease incidence in the Northeastern and Central region of the studied sisal micro-region of Serrinha, for the three years evaluated. This result was confirmed by the dispersion index, which indicates that, although it presents a widespread occurrence, disease spatial distribution is aggregated in the micro-region of Serrinha. However, disease occurs randomly within the planting area, alternating with periods of increase in incidence and periods of stability. The initial disease incidence in sisal fields responds for 82% of the differences observed for the disease progress curves.
Palavras-chave: Sisal
Sisal – Brasil – Nordeste
Sisal – fitopatologia
URI: http://hdl.handle.net/123456789/547
Data do documento: 9-Set-2013
Aparece nas coleções:CCAAB - Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias (Teses)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Katia_Cristina_Leao_de_Magalhaes_Abreu.pdf4,54 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.