Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/handle/123456789/783
Title: Semente de linhaça na dieta de coelhos e a relação da qualidade do sêmen fresco e resfriado com o perfil metabólico.
Authors: Romero, Diana Carolina Moya
Abstract: Objetivou-se avaliar o efeito da inclusão de semente de linhaça (Linum usitatissimum) na dieta de coelhos, na qualidade física e morfológica do sêmen fresco e resfriado e no perfil metabólico. Foram utilizados 20 machos da raça Nova Zelândia, distribuídos em quatro grupos recebendo níveis de semente de linhaça na dieta total: 0, 3, 6 e 9%, fornecidas durante 100 dias. As coletas seminais foram iniciadas 15 dias após o início do fornecimento das dietas e foram realizadas pela técnica de vagina artificial, utilizando-se uma fêmea como manequim, na frequência de uma vez por semana. Após as coletas, procedeu-se a avaliação física e morfológica do sêmen fresco e em seguida, os ejaculados foram diluídos em meio Tris-gema e submetidos ao resfriamento à 5°C. Avaliou- se nos tempos 0, 2, 12, 24, 48 e 72h após o resfriamento, a motilidade espermática progressiva, o vigor espermático e a morfologia espermática. Coletas de sangue foram realizadas a cada 22 dias, para determinação do perfil metabólico. Os dados foram avaliados por Análise de Variância e de Regressão a 5% de significância. Não houve diferença para os aspectos físicos e morfológicos do sêmen fresco (P>0,05). Não houve diferencia para motilidade e vigor espermáticos às 0, 2, 12, 24, 48 e 72h pós-resfriamento (P>0,05). Houve comportamento quadrático positivo para concentração plasmática de glicose e colesterol total. Não houve diferença para concentração plasmática de triglicerídeos, colesterol-LDL, colesterol-VLDL e uréia (P>0,05). Houve comportamento cúbico para colesterol-HDL e creatinina. A inclusão de até 9% de semente de linhaça na dieta de coelhos não alterou os parâmetros físicos e morfológicos de sêmen fresco e resfriado. Contudo, a inclusão de linhaça na dieta alterou o perfil metabólico dos animais.
Objetivou-se avaliar o efeito da inclusão de semente de linhaça (Linum usitatissimum) na dieta de coelhos, na qualidade física e morfológica do sêmen fresco e resfriado e no perfil metabólico.Foram utilizados 20 machos da raça Nova Zelândia, distribuídos em quatro grupos recebendo níveis de semente de linhaça na dieta total: 0, 3, 6 e 9%, fornecidas durante 100 dias. As coletas seminais foram iniciadas 15 dias após o início do fornecimento das dietas e foram realizadas pela técnica de vagina artificial, utilizando-se uma fêmea como manequim, na frequência de uma vez por semana. Após as coletas, procedeu-se a avaliação física e morfológica do sêmen fresco e em seguida, os ejaculados foram diluídos em meio Tris-gema e submetidos ao resfriamento à 5°C. Avaliou- se nos tempos 0, 2, 12, 24, 48 e 72h após o resfriamento, a motilidade espermática progressiva, o vigor espermático e a morfologia espermática. Coletas de sangue foram realizadas a cada 22 dias, para determinação do perfil metabólico. Os dados foram avaliados por Análise de Variância e de Regressão a 5% de significância. Não houve diferença para os aspectos físicos e morfológicos do sêmen fresco (P>0,05). Não houve diferencia para motilidade e vigor espermáticos às 0, 2, 12, 24, 48 e 72h pós-resfriamento (P>0,05). Houve comportamento quadrático positivo para concentração plasmática de glicose e colesterol total. Não houve diferença para concentração plasmática de triglicerídeos, colesterol-LDL, colesterol-VLDL e uréia (P>0,05). Houve comportamento cúbico para colesterol-HDL e creatinina. A inclusão de até 9% de semente de linhaça na dieta de coelhos não alterou os parâmetros físicos e morfológicos de sêmen fresco e resfriado. Contudo, a inclusão de linhaça na dieta alterou o perfil metabólico dos animais.
The study aimed to evaluate the effect of flaxseed inclusion (Linum usitatissimum) in the rabbits diet, through physical and morphological quality of fresh semen and post-cooling and metabolic profile. We used 20 male New Zealand, divided into four groups have been fed whit levels of flaxseed in total diet: 0; 3; 6 and 9%, for a period of 100 days. The seminal collection were initiated 15 days after initiation of the diets and were performed by the technique of artificial vagina, using as a female manequim at the frequency of once a week. After collection, proceeded to review physical and morphological seminal. The results were diluted in Tris-yolk medium, subjected to cooling to 5°C and evaluated at time 0, 2, 12, 24, 48 and 72h after cooling for motility, sperm vigor and morphology. The animals underwent blood sampling every 22 days to determine the metabolic profile. Data were assessed by regression analysis at 5% significance. The inclusion of flaxseed in the diet of rabbits did not alter the aspect seminal, with predominant white color and watery consistency. There was no difference in the physical and morphological aspects of fresh semen. There was no difference in sperm motility and vigor at 0, 2, 12, 24, 48 and 72h post-cooling. There was quadratic positive for plasma glucose and total cholesterol. There was no difference in plasma triglycerides, LDL-cholesterol, VLDL-cholesterol and urea. There was cubic behavior for HDL-cholesterol and creatinine. The inclusion of up to 9% of flaxseed in the diet of rabbits does not alter the physical and morphological parameters of fresh semen and cooled. However, there were changes in blood metabolites of animals.
Keywords: Espécie cunícula
Espermatogênese
Semente de linhaça
Coelhos - nutrição
Linum usitatissimum
URI: http://hdl.handle.net/123456789/783
Issue Date: 12-Dec-2013
Appears in Collections:CCAAB - Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal (Dissertações)



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.